Com Natália inspirada, Brasil vence Tailândia

unnamed
Pula, ataca e pontua. Pula, ataca e pontua. Foi o que mais Natália fez nesta quarta-feira (6), no duelo com a Tailândia, na abertura da Fase Final do Grand Prix. Jogando muita bola, a camisa 12 do Brasil deu um show à parte na boa vitória da seleção em Bangcoc (THA). Foram 3 sets a 0, com parciais de 26/24, 25/16 e 25/11.
Após sua melhor apresentação na competição, e com a vaga bem encaminhada à semifinal, a equipe de Zé Roberto tem pela frente o maior clássico do voleibol mundial. Nesta quinta-feira (7), às 8 horas (de Brasília), protagoniza o jogo de gigantes ao lado da Rússia. Se vencerem mais uma, Natália e suas companheiras garantem a primeira posição do Grupo K.
1º SET
Esqueça aquele time irregular da Fase Intercontinental. O que começou o confronto com a Tailândia foi o que a torcida queria ver: agressivo e concentrado. Não fossem os erros de saque, tudo teria sido perfeito. Mas foi por ali, no fundo, que Sheilla fez o Brasil abrir uma distância confortável: 13 a 8. Tudo estava muito bonito até o Brasil empacar a rede.
Fabiana e Fernanda Garay não conseguiram virar, e a Tailândia diminuiu a diferença para 12 a 14. As donas da casa gostaram da partida e trouxeram a torcida junto. A partir daí, o duelo ficou difícil, ainda mais porque o bloqueio não conseguiu parar as adversárias. Mas a seleção tinha Natália. A camisa 12 foi a bola de segurança que o Brasil precisava para fechar em 26 a 24.
2º SET 
De cara amarrada, com a concentração nas alturas, a seleção protagonizou mais uma bom início no segundo set, tal qual foi o primeiro. A diferença foi que, desta vez, a Tailândia não deixou a seleção jogar com tanta folga. Ao menos, até o décimo ponto, quando o placar registrou apenas dois pontos de distância das brasileiras: 12 a 10.
Depois disso, a seleção engrenou. E como. Tudo funcionou na mais perfeita sintonia, do saque ao ataque. E ficava mais favorável quando Natália entrava na rede. A camisa 12 só não fez chover. Mais acionada, Sheilla também cresceu e foi uma boa opção para Dani Lins, que liderou a seleção à vitória folgada em 25 a 16.
3º SET
Frustrar sua torcida não era o desejo da Tailândia, que entrou na terceira parcial disposta a pôr fim à empolgação do Brasil. Mas como quebrar um sistema que funcionava tão bem? A equipe de Radchatagriengkai Kiattipong percebeu, logo de cara, que seria difícil, praticamente impossível. Principalmente porque, do outro lado, tinha Natália, em estado de graça.
Até o bloqueio, que andava tímido, resolveu aparecer. Com tamanha pressão do Brasil, o placar ficou elástico. Zé Roberto aproveitou então para dar ritmo às atletas do banco. Roberta, Adenízia, Jucy e Gabi ganharam a chance de jogar. E o quarteto entrou bem, cheio de disposição. Com direito a uma pancada de Gabi, a seleção encerrou o primeiro desafio com um passeio: 25 a 11.
Natália sobrou e fez 23 pontos para o Brasil. Kongyot, bem mais apagada que o normal, anotou 14 para a Tailândia.
Maiores Pontuadoras:
THA: Kongyot 14, Pleumjit 8, Onuma 7, Apinyapong 2, Malika 2, Pornpun 1.
BRA: Natalia 23, Sheilla 10, Fernanda 10, Thaisa 8, Fabiana 6, Gabriela 4, Danielle 2.
Fase Final:
06.07 05:00 Est. Unidos 3 vs 0 Holanda 25-21 25-17 25-23
06.07 08:00 Tailândia 0 vs 3 Brasil 24-26 16-25 11-25
07.07 05:00 China  vs Holanda
07.07 08:00 Rússia vs Brasil
08.07 05:00 Est. Unidos  vs China
08.07 08:00 Tailândia vs Rússia
Matéria/Divulgação/Foto/Estatísticas: Por Saque Viagem/FIVB

Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s