Categorias
Entrevistas Eventos

Goncharova: Por que ir para Turquia ou em outro lugar, onde tudo é estranho e incompreensível?

A oposta Goncharova concedeu entrevista ao site russo sport-express.ru e falou sobre a temporada 2016/2017, sobre Champions League, Mundial de Clubes, Seleção e sobre o futuro.

Questionada se alegria de vencer a Liga Russa nessa temporada foi maior do que na temporada passada, a jogadora respondeu:

Não posso concordar. Qualquer vitória é brilhante. Ao mesmo tempo, é muito legal que neste ano vencemos as séries decisivas sobre o Kazan. Na última temporada, depois de terem perdido na semi-final e nós ganhamos  o ouro contra o Uralochka.

Você chegou à final da Copa da Rússia e da “Final Four” da Liga dos Campeões, venceu o Super League. Alegria plena nessa temporada você tem, penso eu, ou não?

É isso mesmo. Poderíamos ganhar a Copa da Rússia. Fiquei chateada com atuação na Liga dos Campeões. Sim, o objetivo era entrar na “Final Four”, conseguimos chegar até lá. Eramos capazes de mostrar um jogo muito melhor em Treviso. Mas nós não conseguimos.

Ganharam convite para o Mundial de Clubes, de 09-14 maio e será realizada em Kobe, no Japão, é alegria ou está ansiosa para terminar esta temporada difícil?

Estamos acostumados, as férias que temos é sempre muito pequena. Essa é a vida de atleta. Mas Kobe é interessante. Vamos enfrentar o clube turco que foi campeão na “Final Four” da Liga dos Campeões, a equipe japonesa, a brasileira. Nós definitivamente vamos obter uma boa experiência. E por sua vez, vamos tentar mostrar um bom voleibol. Não vai ser fácil, mas vamos ver o que podemos fazer. Talvez tenhamos sorte no Japão, e possamos sorrir mais.

Você gosta de Francesco Totti, a sua vida vai ser fiel a um clube? Ou não exclui a opção de transferência para uma equipe estrangeira?

Certamente você não pode dizer sobre o futuro. Mas até agora eu me sinto muito bem em Moscou. Tem uma grande gestão o clube, onde eu realmente me sinto em casa. Não vejo razão para mudar alguma coisa. Por que ir para Turquia ou outro lugar, onde tudo é estranho e incompreensível? Por enquanto no exterior, eu não vou.

Muitos daqueles que jogaram no exterior, dizem que é realmente uma experiência muito gratificante, um dia deve ser feito. Vamos ver. O Futuro é uma coisa imprevisível – acrescentou Goncharova.

A temporada pós-olímpico é realmente mais difícil?

Eu não posso dizer que é particularmente difícil. Outra coisa é que o nosso campeonato em si é um torneio difícil. Uma série de viagens. Há momentos em que não temos tempo nem para treinar. As pessoas que são responsáveis ​​pela elaboração do calendário, devem entender que é muito difícil e nós também devemos descansar às vezes. E mesmo agora, após o Mundial de Clubes, algumas vão imediatamente para a equipe nacional. Sem qualquer descanso.

Este ano, o Grand Prix você perder?

Sim.

Você já falou Vladimir Kuzyutkin?

Falamos com Vladimir e eu disse a ele que preciso descansar. Jogar uma temporada inteira sem interrupção – não é fácil. Leva tempo para tratar feridas, relaxar. O treinador ouviu a todos, e, em seguida, disse que, após a seleção para a Copa do Mundo de 2018, está pronto para  deixar-me ir de férias. Por isso eu sou muito grata a ele.

Foto: Alexander Fedorov

Fonte: sport-express.ru

 

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair /  Alterar )

Foto do Google

Você está comentando utilizando sua conta Google. Sair /  Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair /  Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair /  Alterar )

Conectando a %s