Fabi se despede das quadras aos 38 anos

A partida entre Praia Clube x SESC RJ, marcou a despedida da líbero bicampeã Fabi das quadras, aos 38 anos.

“Uma hora tem que chegar esse momento. Então, é uma decisão difícil pra todo mundo. Ninguém tem cem por cento de certeza nunca. Mas o corpo fala e, enfim, os desafios que vão aparecendo para você, você vai se sentindo feliz com as coisas que você conquistou. E é uma decisão tomada dia após dia, Superliga após Superliga, defesa após defesa. Conversa com muita gente, muitas pessoas. E aí, infelizmente, chega uma hora que tem que parar”, disse Fabi ao site globoesporte.com

Fabiana começou a jogar vôlei aos treze anos de idade na sua escola quando estava participando de uma competição escolar. Começou a treinar nas categorias de base, e devido sua baixa estatura se especializou na defesa, e logo com a criação da posição de líbero em 1998, passou a se destacar.

Com a Seleção Brasileira foi Bicampeã Olímpica (Pequim 2008 e Londres 2012). Foi seis vezes campeã do Grande Prix (2005, 2006, 2008, 2009, 20130), conquistou dois títulos da Copa dos Campeões (2013 e 2005) e medalha de Ouro nos jogos Pan-Americanos em 2011.

Em clubes conquistou vários títulos entre eles:

Decacampeã da Superliga pelo Rio de Janeiro em( 2005/2006, 2006/2007, 2007/2008, 2008/2009, 2010/2011, 2012/2013, 2013/2014, 2014/15,2015/16 e 2016/17).

Tetracampeã do Campeonato Sul-Americano de Clubes pelo Rio de Janeiro (2013, 2015,2016 e 2017).

Tricampeã da Copa Brasil pelo Rio de Janeiro: 2007, 2016 e 2017

Tricampea da Supercopa Brasileira pelo Rio de Janeiro: 2015, 2016 e 2017.

Conquistou vários prêmios individuais, entre eles:

Melhor líbero do Grand Prix 2002

Melhor líbero do Sul-Americano (2003 e 2007)

MVP do Sul-Americano 2009

Melhor líbero dos Jogos Olímpicos de Pequim 2008

Melhor líbero e melhor defesa do Torneio de Voleibol Final Four 2008

Melhor líbero do torneio Montreux Volley Masters 2009

Melhor recepção da Superliga pelo Campos 2002/2003

Melhor líbero da Superliga pelo Campos 2002/2003

Melhor Jogadora da final da Superliga pelo Rexona-Ades 2007/2008

Melhor Passe da Superliga pelo Rexona-Ades 2007/2008

Melhor líbero da final da Superliga pelo Rexona-Ades 2008/2009

Melhor Defesa da Superliga pelo Rexona-Ades 2008/2009

Melhor Defesa da Superliga pelo Unilever (Ex Rexona Ades) 2010/2011

Melhor recepção da Copa do Mundo de Voleibol 2011

Melhor líbero do Mundial de Clubes 2016

Melhor Passe da Superliga pelo SESC RJ 2017/2018.

Foto: Agência AP

 

 

 

 

 

 

Anúncios

Fabíola e Léia pedem dispensa da Seleção, Jaqueline é convocada para posição de líbero

A levantadora Fabíola e a líbero Léia que foram convocadas pelo técnico José Roberto para defender a Seleção Brasileira, pediram dispensa. A CBV, em nota oficial informação que as duas pediram dispensa por questões pessoais.

Com a dispensa de Léia, o técnico José Roberto Guimarães, anunciou nesta terça-feira (17.04) a convocação da bicampeã olímpica Jaqueline, do Hinode Barueri (SP), para a temporada 2018 da equipe brasileira que visa entre outras competições a Liga das Nações. A jogadora foi chamada para a posição de líbero e se apresentará na próxima segunda-feira (23.04) no Centro de Desenvolvimento de Voleibol (CDV), em Saquarema (RJ).

Foto: Divulgação / FIVB.

Miriam Sylla e Antonijevic são inocentadas em caso de doping

Uma ótima notícias para os fãs da ponteira italiana Miriam Sylla e da levantadora sérvia Ana Atonijevic, as duas jogadoras foram inocentadas das acusações de uso de substância ilícita, durante as finais do Grand Prix 2017.

De acordo com a imprensa internacional a substância encontrada no organismo das jogadoras, o clembuterol, estava presente nas carnes consumidas em Nanquim, na China, fazendo com as duas fossem inocentadas.

Tanto Sylla, como Antonijevic foram liberadas e poderão defender suas respectivas equipes, Bergamo (Sylla) e o Volero Zurich (Antonijevic) na temporada 2017/2018.

Fonte e foto: volleyball.it

Ana Antonijevic testa positivo em exame antidoping

A levantadora sérvia Ana Antonijevic testou positivo em um exame de doping realizado pela FIVB no Grand Prix 2017. A jogadora testou positivo para o clenbuterol, mesma substância encontrada no exame da ponteira italiana Miriam Sylla.

Ambos os exames foram feitos durante o Grand Prix 2017, o que aumenta a suspeita de contaminação alimentar.  A Federação Sérvia (OSS) enviou uma carta com os resultados do teste de Antonijević para a Agência Mundial Antidoping (WADA).

No caso de Sylla, a Federação Italiana (FIPAV) e a jogadora reivindicaram uma contra-prova do exame, após obter os resultados dos testes de doping.

clenbuterol geralmente é prescrito para pacientes com transtornos respiratórios, principalmente a asma. Também é utilizado para redução de peso.

Foto: Zhizhao Wu/Getty Images

Fonte: worldofvolley.com

Miriam Sylla testa positivo em exame antidoping

A ponteira italiana Miriam Sylla testou positivo em um exame de doping realizado pela FIVB no Grand Prix 2017, na partida final entre Brasil e Itália no dia 6 de agosto.

A ponteira testou positivo para o clenbuterol geralmente é prescrito para pacientes com transtornos respiratórios, principalmente a asma.

De acordo com Bruno Cattaneo presidente da Fipav a contaminação pode ter ocorrido por contaminação de alimento:

“Pode ser um caso de contaminação de alimentos e para isso estamos esperando para ver a percentagem de substância encontrada exame”

Foto: legavolleyfemminile.it

Fonte: volleyball.it

Brasil bate Itália e conquista 12° título do Grand Prix

A Seleção Brasileira Feminina de Vôlei precisou suar a camisa para vencer a Itália e conquistar o 12° título do Brasil no Grand Prix.

Brasil mesmo inconsistente em alguns momentos, conseguiu sair das situações difíceis, com direito a virada impressionante no terceiro set.

Destaque para o bloqueio do Brasil que foi fundamental para conquista do título, foram 15 pontos, contra 9 da Itália nesse fundamento.

A oposta italiana Paola Egonu foi a maior pontuadora da partida com 29 pontos, sendo 25 de ataques, 3 bloqueio e 1 ace.

A oposta Tandara e a ponteira Natália foram os destaques do Brasil com 22 pontos cada.

Itália 2×3 Brasil (24-26, 26-17, 22-25, 25-22, 8-15).

Itália – Egonu 29, C.Bosetti 17, Chirichella 14, Bonifácio 10, L.Bosetti 6, Malinov 4, Folie 1, Beatrice 1.

Brasil – Tandara 22, Natália 22, Bia 12, Adenizia 6, Rosamaria 6, Drussyla 4, Carol 2.

Foto: Divulgação / FIVB.

Itália acaba com festa da China e será o adversário do Brasil na final do Grand Prix

A renovada e jovem Seleção da Itália surpreendeu a China e será o adversário do Brasil na grande final do Grand Prix 2017. As italianas lideradas por Egonu, venceram por 3 x 1 (25-18, 25-23, 25-22, 27-25), acabando com a festa das atuais Campeãs Olímpicas que jogavam em casa.

A oposta Paola Egonu foi o destaque e maior pontuadora da partida com 26 pontos, sendo 25 de ataques e 1 bloqueio.

Ting Zhu foi o destaque da China com 21 pontos, sendo 18 de ataques, 2 bloqueios e 1 ace. A final entre Brasil e Itália, será amanhã, às 9h:00 da manhã e terá transmissão do Sportv e TV Globo.

CHI – Zhu 21, Zhang 13, Liu 10, Yuan 8, Gong 8, Yi Gao 2, Ding 2, Wang 2.

ITA – Egonu 26, Chirichella 14, C.Bosetti 11, Folie 10, L.Bosetti 10, Malinov 2, Sylla 2.

Foto: Divulgação / FIVB.