Brasil e Estados Unidos decidem amanhã título do Grand Prix

Brasil e Estados Unidos decidem amanhã o título do Grand Prix 2016. Na semifinal o Brasil fez uma ótima partida e derrotou a Holanda. As americanas também fizeram o dever de casa e venceram as russas.

Desde 2008, Brasil e Estados vencem o Grand Prix. O Brasil levou o título em 2008, 2009, 2013 e 2014, enquanto as americanas foram campeãs em 2011, 2012 e 2015.

Brasil 3 x 0 Holanda (25-18, 25-16, 25-23).

BRA – Natália 13, Fabiana 11, Garay 11, Sheilla 10, Thaisa 8, Gabi 2.

HOL – Plak 10, Sloetjes 9, Buijs 7, Robin 6, Belien 5, Pietersen 4, Steenbergen 2.

EUA 3 x 0 Rússia (25-20, 25-23, 25-14).

EUA – Hill 17, Adams 13, Larson 12, Akirandewo 8, Murphy 7, Lowe 4, Glass 1.

RUS – Goncharova 14, Fetisova 7, IIchenko 7, Zaryazhko 5, Shcherban 4, Kosianenko 2, Malygina 1, Malykh 1.

FINAIS:

2h (5º/6º): Tailândia x China

5h (3º/4º): Holanda x Rússia

8h (Final): Brasil x EUA (Transmissão do SPORTV).

Foto: Divulgação / FIVB.

 

Goncharova brilha e Rússia avança para as semifinais do Grand Prix

A Rússia venceu agora pouco a Tailândia e garantiu vaga nas semifinais do Grand Prix. A oposta Goncharova foi o destaque e a maior pontuadora da partida.

Com esse resultado foram definidos os confrontos das Semifinais do Grand Prix. A Rússia vai enfrentar os Estados Unidos, já o Brasil vai jogar contra a Holanda.

Tailândia 0 x 3 Rússia (25-27, 24-26, 19-25).

TAI – Kongyot 17, Thinkaow 13, Onuma 8, Nuekjang 7, Kanthong 5, Tomkom 1.

RUS – Goncharova 27, IIchenko 12, Shcherban 11, Fetisova 7, Zaryazhko 5.

Foto: Divulgação / FIVB.

Vitória dos Estados Unidos sobre a China

Sem contar com algumas de suas principais jogadoras a China foi derrota pelo Estados Unidos. Com o segundo resultado negativo as chinesas estão eliminadas do Grand Prix.

Com vitória das americanas sobre as chinesas, a Holanda também avançou para as semifinais do Grand Prix.

EUA 3 x 0 China (25-21, 26-24, 25-22).

EUA – Lowe 12, Adams 11, Bartsch 11, Harmotto 10, Larson 7, Hill 6, Murphy 3, Robinson 2, Lloyd 1.

CHI – Zheng 14, Yanhan 12, Liu 11, Zhang 7, Yuan 5, Yao 2, Hui 2, Gong 2.

Foto: Divulgação / FIVB.

Sloetjes brilha na vitória da Holanda sobre a China

Mesmo sem contar com algumas de suas principais jogadoras a China deu trabalho, mas não conseguiu vencer a Holanda. Destaque para oposta Sloetjes decisiva e maior pontuadora da partida.

Com resultado positivo as holandesas se aproximaram da vaga para as semifinais do Grand Prix. A China se quiser desbancar a Holanda e avançar  para semifinais, terá que vencer amanhã a Seleção dos Estados Unidos.

China 2 x 3 Holanda (25-23, 14-25, 25-19, 20-25, 8-15).

CHI – Gong 21, Liu 12, Hui 10, Zhang 10, Yuan 8, Zeng 4, Shen 3.

HOL – Sloetjes 31, Buijs 21, Steenbergen 14, Robin 12, Grothues 8, Dijkema 2.

Foto: Divulgação / FIVB.

Brasil joga bem e atropela a Rússia no Grand Prix

A Seleção Feminina de Vôlei atropelou a Rússia e garantiu vaga nas semifinais do Grand Prix. Com o saque eficiente nossas meninas conseguiram anular as jogadoras russas que sofrerem na recepção e tiveram dificuldades em passar pelo bloqueio brasileiro.

Destaque para a oposta Sheilla que importante nos momentos finais da partida e voltou a ter uma boa atuação vestindo a camisa da Seleção. Vale destacar também a líbero Léia que foi eficiente na recepção e fez grandes defesas.

Rússia 0 x 3 Brasil (22-25, 10-25, 21-25).

RUS – Goncharova 12, Shcherban 9, Zaryazhko 6, Malygina 4, Fetisova 4, Shlyakhovaya 3, IIchenko 2, Malykh 1.

BRA – Sheilla 14, Thaisa 13 (4 bloqueios), Natália 12 (3 bloqueios), Fê Garay 10, Fabiana 8 (1 bloqueio), Lins 3, Jaqueline 1.

Foto: Divulgação / FIVB.

Com Natália inspirada, Brasil vence Tailândia

Pula, ataca e pontua. Pula, ataca e pontua. Foi o que mais Natália fez nesta quarta-feira (6), no duelo com a Tailândia, na abertura da Fase Final do Grand Prix. Jogando muita bola, a camisa 12 do Brasil deu um show à parte na boa vitória da seleção em Bangcoc (THA). Foram 3 sets a 0, com parciais de 26/24, 25/16 e 25/11.
Após sua melhor apresentação na competição, e com a vaga bem encaminhada à semifinal, a equipe de Zé Roberto tem pela frente o maior clássico do voleibol mundial. Nesta quinta-feira (7), às 8 horas (de Brasília), protagoniza o jogo de gigantes ao lado da Rússia. Se vencerem mais uma, Natália e suas companheiras garantem a primeira posição do Grupo K.
1º SET
Esqueça aquele time irregular da Fase Intercontinental. O que começou o confronto com a Tailândia foi o que a torcida queria ver: agressivo e concentrado. Não fossem os erros de saque, tudo teria sido perfeito. Mas foi por ali, no fundo, que Sheilla fez o Brasil abrir uma distância confortável: 13 a 8. Tudo estava muito bonito até o Brasil empacar a rede.
Fabiana e Fernanda Garay não conseguiram virar, e a Tailândia diminuiu a diferença para 12 a 14. As donas da casa gostaram da partida e trouxeram a torcida junto. A partir daí, o duelo ficou difícil, ainda mais porque o bloqueio não conseguiu parar as adversárias. Mas a seleção tinha Natália. A camisa 12 foi a bola de segurança que o Brasil precisava para fechar em 26 a 24.
2º SET 
De cara amarrada, com a concentração nas alturas, a seleção protagonizou mais uma bom início no segundo set, tal qual foi o primeiro. A diferença foi que, desta vez, a Tailândia não deixou a seleção jogar com tanta folga. Ao menos, até o décimo ponto, quando o placar registrou apenas dois pontos de distância das brasileiras: 12 a 10.
Depois disso, a seleção engrenou. E como. Tudo funcionou na mais perfeita sintonia, do saque ao ataque. E ficava mais favorável quando Natália entrava na rede. A camisa 12 só não fez chover. Mais acionada, Sheilla também cresceu e foi uma boa opção para Dani Lins, que liderou a seleção à vitória folgada em 25 a 16.
3º SET
Frustrar sua torcida não era o desejo da Tailândia, que entrou na terceira parcial disposta a pôr fim à empolgação do Brasil. Mas como quebrar um sistema que funcionava tão bem? A equipe de Radchatagriengkai Kiattipong percebeu, logo de cara, que seria difícil, praticamente impossível. Principalmente porque, do outro lado, tinha Natália, em estado de graça.
Até o bloqueio, que andava tímido, resolveu aparecer. Com tamanha pressão do Brasil, o placar ficou elástico. Zé Roberto aproveitou então para dar ritmo às atletas do banco. Roberta, Adenízia, Jucy e Gabi ganharam a chance de jogar. E o quarteto entrou bem, cheio de disposição. Com direito a uma pancada de Gabi, a seleção encerrou o primeiro desafio com um passeio: 25 a 11.
Natália sobrou e fez 23 pontos para o Brasil. Kongyot, bem mais apagada que o normal, anotou 14 para a Tailândia.
Maiores Pontuadoras:
THA: Kongyot 14, Pleumjit 8, Onuma 7, Apinyapong 2, Malika 2, Pornpun 1.
BRA: Natalia 23, Sheilla 10, Fernanda 10, Thaisa 8, Fabiana 6, Gabriela 4, Danielle 2.
Fase Final:
06.07 05:00 Est. Unidos 3 vs 0 Holanda 25-21 25-17 25-23
06.07 08:00 Tailândia 0 vs 3 Brasil 24-26 16-25 11-25
07.07 05:00 China  vs Holanda
07.07 08:00 Rússia vs Brasil
08.07 05:00 Est. Unidos  vs China
08.07 08:00 Tailândia vs Rússia
Matéria/Divulgação/Foto/Estatísticas: Por Saque Viagem/FIVB

EUA vence Holanda e confirma favoritismo

Para os Estados Unidos, nunca valeu tanto a máxima que uma vitória começa a ser construída a partir do bom saque. O time de Karch Kiraly causou um pesadelo na recepção da Holanda, que pouco conseguiu jogar no encontro desta quarta-feira (6), na abertura da Fase Final do Grand Prix. Foi um maiúsculo 3 a 0 (25/21, 25/17 e 25/23), para não deixar nenhuma dúvida sobre a superioridade americana.
Diante da boa apresentação da equipe em Bangcoc (THA), Kiraly manteve o time titular praticamente em todos os sets. Akinradewo, Larson, Hill, Adams, Murphy, Alisha Glass e Hagglund se saíram bem. Nas inversões do 5-1, Lowe mostrou que, se Murphy não for mais efetiva, está pronta para assumir a saída.
Já Giovanni Guidetti teve bem mais trabalho do outro lado da quadra. As ponteiras sofreram na recepção do saque e comprometeram toda a estratégia de jogo. Foi um entra e sai de jogadora da quadra, na busca por uma formação que desse mais equilíbrio à Holanda. Nem a levantadora Dijkema esteve imune e foi parar no banco.
Nada, porém, foi o suficiente para parar Akinradewo, dona de 16 pontos, e nem Larson e Hill, com dez cada. Um dos favoritos ao título de 2016, os Estados Unidos marcaram os três primeiros tentos no Grupo K. A Holanda, sem nada, precisa da vitória sobre a China, nesta quinta-feira (7), às 5 horas (de Brasília), para não dar adeus à briga por medalhas. O SporTV transmite.
Maiores Pontuadoras:
USA: Akinradewo 16, Larson 10, Hill 10, Adams 9, Murphy 6, Lowe 5, Glass 1.
NED: Slöetjes 15, Belien 9, De Kruijf 7, Pietersen 5, Buijs 4, Balkestein 2,  Balkestein 1, Plak 1.
Fase Final:
06.07 05:00 Est. Unidos 3 vs 0 Holanda 25-21 25-17 25-23
06.07 08:00 Tailândia 0 vs 3 Brasil 24-26 16-25 11-25
07.07 05:00 China  vs Holanda
07.07 08:00 Rússia vs Brasil
08.07 05:00 Est. Unidos  vs China
08.07 08:00 Tailândia vs Rússia
Matéria/Divulgação/Foto/Estatísticas: Por Saque Viagem/FIVB